Banco Mundial eleva previsão de crescimento da China a 7,2%

O Banco Mundial (Bird) elevou ontem sua previsão de crescimento da China para este ano de 6,5% para 7,2%, mas acrescentou que ainda é cedo para dizer que o país embarcou numa recuperação "robusta e sustentável". A grande questão é saber por quanto tempo Pequim conseguirá manter um alto ritmo de expansão sem reação da economia mundial, em especial dos Estados Unidos, principal destino de suas exportações.O pacote de estímulo de US$ 585 bilhões anunciado pelo governo chinês em novembro é a principal razão do bom desempenho econômico nos últimos três meses, avaliou o Banco Mundial no relatório trimestral sobre a China. Na avaliação do Bird, não é "necessário nem apropriado" o anúncio de medidas adicionais de estímulo neste ano.Diante do impacto fiscal negativo do aumento do gasto público, a entidade avalia que Pequim deve guardar munição para 2010, caso a economia mundial não reaja até lá. "Os investimentos influenciados pelo governo vão suportar fortemente o crescimento em 2009. Mas há limites em relação a quanto e por quanto tempo o crescimento da China pode divergir do crescimento mundial", afirmou Ardo Hansson, economista para a China do Banco Mundial.Cerca de 70% dos gastos previstos no pacote referem-se a projetos de infraestrutura. A maior parte dos recursos vem dos bancos estatais, que emprestaram de janeiro a maio o equivalente a US$ 855 bilhões, cifra que supera o valor do pacote e o volume total de crédito de 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.