Banco Mundial estima crescimento da China em 9,5%

O Bancou Mundial (Bird) elevou as projeções de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) da China de 9,2% para 9,5% em 2006, contra 9,9% do crescimento de 2005. O anúncio partiu do economista-chefe do BM no país asiático, de Louis Kuijs. "A China continua ampliando sua participação no mercado internacional", afirmou, ao comentar a alta de 27% das vendas externas.Conforme o estudo divulgado por Kuijs, o crescimento da econômica chinesa deverá ficar abaixo dos 10,2% registrados no primeiro trimestre deste ano e dos 9,9% alcançados em 2005. O relatório do Bird, contudo, aconselhou o governo chinês a adotar algumas medidas para conter a superoferta, especialmente no setor imobiliário. "A China deveria conter a liquidez do sistema financeiro e os investimentos em setores com risco de superaquecimento", avaliou o chefe do escritório do banco nesta capital, Bert Hofman.Kuijs também recomendou ao governo chinês que fomente o mercado interno para equilibrar o comércio exterior. Para o economista, as exportações continuam aumentando mais do que as importações. A China precisa diminuir sua dependência externa, frisou ao recomendar a ampliação de investimentos nos setores de saúde, educação, agricultura e previdência social.

Agencia Estado,

10 de maio de 2006 | 09h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.