Banco Mundial prevê que alimentos vão continuar caros

O aumento da demanda por alimentos nos países em desenvolvimento e os preços elevados de energia impedirão que os preços dos alimentos recuem em breve, afirmou hoje o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick.Segundo ele, mesmo se as restrições à oferta no curto prazo, como uma seca na Austrália (país exportador de alimentos), forem resolvidas, o crescimento do consumo na China e na Índia manterá apertado o equilíbrio entre oferta e demanda."Enquanto esperamos que haja alguma resposta no lado da oferta que possa pressionar um pouco os preços para baixo em 2009 e 2010, em geral acreditamos que os níveis de preço até 2015 continuarão mais altos do que os de 2004", disse ele. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.