Banco Mundial revisa para cima expansão econômica da Am. Latina

O Banco Mundial revisou para cima sua projeção de crescimento econômico para a América Latina em 2010, de 4 por cento para 4,5 por cento, liderado por Brasil, Peru e México, disse nesta quinta-feira o economista-chefe do organismo para a região.

MARCO AQUINO, REUTERS

27 de maio de 2010 | 20h35

Em entrevista à Reuters, Augusto de la Torre afirmou que a expansão da economia do Brasil será superior a 6 por cento e a do Peru, perto de 6 por cento.

A nova projeção do Banco Mundial para a economia da América Latina é maior que a estimativa do Fundo Monetário Internacional (FMI), de 4 por cento, divulgada no mês passado.

"Para a América Latina, por exemplo, em abril as projeções (do Banco Mundial) estavam em torno de 4 por cento de crescimento para 2010, agora estamos falando de 4,5 por cento de crescimento", disse De la Torre, que visita Lima para uma reunião de ministros da Fazenda da região.

"Esta taxa de crescimento que se espera para 2010, para a região, este aumento de meio ponto percentual, é explicada significativamente por dois países: Brasil e Peru", acrescentou.

A maioria dos países da América Latina conseguiu enfrentar melhor a crise financeira mundial devido a políticas econômicas e fiscais mais prudentes em comparação a décadas passadas.

De la Torre afirmou que o México, fortemente atingido no ano passado por sua proximidade com os Estados Unidos --foco da crise financeira-- também demonstra sinais de recuperação.

"Em 2010, o México também está entre os países que mais irão crescer na região... a estimativa agora está mais acima dos 4,5 por cento, talvez 5 por cento", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROBMAMERICALATINA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.