Banco Mundial só ajudará Argentina após acordo com FMI

O vice-presidente do Banco Mundial para América Latina, David de Ferranti, manifestou apoio aos esforços da Argentina para solucionar a crise econômica e sinalizou que a instituição poderá apressar a liberação de recursos para país, assim que o governo argentino e o FMI cheguem a um acordo."O Banco Mundial está muito ciente da necessidade urgente da Argentina por apoio adicional, neste momento crítico", disse De Ferranti em um comunicado à imprensa. A nota foi divulgada depois de De Ferranti conversar por telefone com o ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna.Segundo o porta-voz do Banco Mundial, Christopher Neal, a instituição pretende liberar US$ 700 milhões em créditos para a Argentina; metade seria "dinheiro novo", destinado a ajudar famílias de baixa renda, e metade representa empréstimos já autorizados, mas não liberados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.