Banco Original, do JBS, terá foco no agronegócio

O Banco Original, resultado da união entre o Banco JBS e o Banco Matone, foi anunciado oficialmente ontem, com ativos totais de R$ 4,303 bilhões e índice de Basileia, que mede a capitalização, de 28,05%. A instituição financeira possui um patrimônio líquido de R$ 1,872 bilhão e carteira de crédito de R$ 2,350 bilhões.

SUZANA INHESTA, ALTAMIRO SILVA JUNIOR, O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2011 | 03h07

A J&F, holding detentora do banco e de outras empresas, como a Flora Higiene e Limpeza e a companhia de alimentos JBS, ainda informou que o total de recursos próprios livres, captados e administrados do Banco Original é de R$ 2,551 bilhões.

A atuação do banco será nos segmentos de agronegócios e varejo. "Há um potencial muito grande para crescer nesses segmentos", disse o presidente do Banco Original, Emerson Loureiro.

De acordo com o presidente da J&F, Joesley Batista, o Banco Original tem capacidade de emprestar R$ 10 bilhões em linhas de crédito ao agronegócio. Para 2012, a projeção é triplicar a carteira do setor. Segundo ele, a meta é ser um dos maiores bancos para o agronegócio. "O agronegócio, durante muitos anos, foi visto como segmento marginal, onde só o Banco do Brasil financiava. Isso é coisa do passado. Hoje, o setor é profissionalizado", disse o executivo.

No varejo, o objetivo é um crescimento mais orgânico. Batista destaca que o crédito consignado vem sendo muito explorado por outros bancos e tem capacidade menor de expansão. Mas o Original vai oferecer outras linhas para a pessoa física, como o crédito pessoal. A oferta de crédito imobiliário, que chegou as ser pensada, está descartada no momento. O banco tem capacidade de emprestar R$ 2 bilhões.

Para criar o Original, a partir da fusão do Matone com o Banco JBS, houve um aporte de R$ 1,85 bilhão, feito pela J&F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.