Banco Panamericano lança cartão pré-pago

O Banco Panamericano resolveu reforçar sua área de cartões e apostar no mercado de pré-pagos, segmento ainda incipiente no Brasil. Em parceria com a Mastercard e a empresa americana Rêv Worldwide, o banco lança na segunda-feira seu primeiro cartão pré-pago. A meta é vender ao menos 500 mil cartões em um ano, atraindo um público que não tem conta corrente, nem acesso aos bancos, afirma o diretor do banco, Eliel Teixeira de Almeida.

Altamiro Silva Junior, O Estado de S.Paulo

30 de abril de 2011 | 00h00

Com a entrada do novo controlador, o BTG Pactual, e a parceria com a Caixa Econômica Federal, o objetivo do Panamericano é manter o foco na área de cartões nas classes C, D e E. Por isso, o banco quer buscar novos canais de venda para cartões, como redes de varejo e supermercados, para atrair os "desbancarizados".

O produto que está sendo lançado, agora, é um pré-pago que pode ser recarregado nas 10 mil lotéricas da Caixa e nos cerca de 260 pontos de atendimento do banco.

Estudos da Mastercard indicam que o mercado de pré-pagos tem potencial para movimentar US$ 81 bilhões na América Latina. "É um mercado ainda muito pouco explorado", disse o vice-presidente de produtos da Mastercard, Marcelo Tangioni.

Diferente de outros cartões pré-pagos lançados no Brasil, em sua maioria voltados para gastos com viagens no exterior, o do Panamericano pode ser usado no País em qualquer estabelecimento que aceite a bandeira Mastercard, que soma mais de 1,5 milhão de lojistas. O cartão também pode ser utilizado no exterior. A estimativa é que a média das recargas mensais fique entre R$ 100 e R$ 200, segundo o diretor do banco.

O cartão começou a ser desenhado antes do anúncio do rombo do Panamericano, que chegou a R$ 4,2 bilhões. O diretor do banco diz que a imagem da instituição junto aos clientes não foi abalada. "No auge da exposição dos problemas, em dezembro, tivemos recorde de vendas", disse o executivo em entrevista à imprensa ontem na sede do banco, em São Paulo.

Com o novo controlador, Teixeira acredita que a instituição vai conseguir transmitir ainda mais credibilidade e atrair novos parceiros e clientes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.