Bancos alemães vão participar do socorro à Grécia

Na última terça-feira, chefe de federação alemã de bancos indicou que instituições financeiras querem incentivos para participar do novo pacote de ajuda à Grécia

Agência Estado,

25 de junho de 2011 | 18h50

O chefe da BdB, influente federação alemã de bancos, Michael Kemmer, disse ao jornal Neue Osnabrucker Zeitung, que as instituições do país vão participar do novo pacote de socorro à Grécia que está sendo formatado pela Zona do Euro. "Faremos nossa contribuição", disse.

Um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Alemanha, disse que as discussões sobre o papel específico dos credores privados no pacote de socorro estão em curso, mas que ainda não há clareza sobre como será esse processo.

Na última terça-feira, Kemmer indicou que os bancos alemães querem incentivos antes de concordarem em participar do socorro. Seus cálculos são de que essas instituições tenham entre 10 bilhões e 20 bilhões de euros (US$ 14 bilhões a US$ 28 bilhões) investidos em títulos da dívida grega.

O economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Jurgen Stark, disse ontem que a participação do setor privado no pacote injetaria mais risco em uma situação já complicada.

A Grécia tem uma dívida de cerca de 350 bilhões de euros e precisa de um segundo empréstimo de 100 bilhões de euros, além dos 110 bilhões já prometidos pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI).

Os ministros de Finanças da Zona do Euro querem que os bancos, seguradoras e fundos de pensão que detêm títulos de dívida da Grécia aceitem estender o prazo de pagamento desses papeis. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaGréciacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.