Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Bancos alinhavam estrutura do superfundo, diz jornal

Representantes das três maiores instituições financeiras dos EUA teriam detalhado a estrutura do fundo de US$ 100 bilhões elaborado para ajudar a descongelar a paralisia dos mercados de crédito, de acordo com pessoas próximas ao assunto. Representantes do Citigroup, do J.P. Morgan e do Bank of America se desdobraram durante semanas em torno dos detalhes do plano, que foi lançado pelo Departamento do Tesouro dos EUA em setembro. Os representantes teriam definido a estrutura do fundo de resgate na sexta-feira, após um encontro que durou o dia inteiro, informaram as mesmas fontes.O "superfundo" tem a intenção de prover uma opção nova para os veículos de investimentos estruturados (SIVs em inglês), que são essencialmente fundos de arbitragem de crédito que tendem a investir em ativos lastreados a outros ativos (asset-backed Securities em inglês), bem como em algumas obrigações de entidades financeiras. O objetivo de um SIV é lucrar com as diferenças de taxas entre a tomada de empréstimo no curto prazo num mercado de (teoricamente) baixo risco, como os de commercial paper (títulos de curto prazo emitidos por empresas como forma de financiamento), e a concessão de empréstimo a longo prazo num mercado de maior risco (asset backed, obrigações).Esses SIVs têm enfrentado obstáculos por conta da turbulência do mercado, o que deixou os investidores em dívida praticamente paralisados. Embora existam esperanças de que a limitação de crédito estaria diminuindo, esse não parece ser efetivamente o caso. Vários administradores de SIVs estão vendendo seus ativos. Ainda este mês, os bancos esperam concluir um prospecto para apresentar os detalhes a outros bancos que queiram investir nesse fundo. Os três grandes bancos esperam alcançar cerca de 70 instituições financeiros e planejam iniciar o plano no início do próximo ano. As informações são do jornal Wall Street Journal, retransmitidas pela Dow Jones.

PATRICIA LARA, Agencia Estado

12 de novembro de 2007 | 11h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.