Bancos argentinos admitem parte de culpa pela crise

Pela primeira vez um representante de banco admitiu que as instituições financeiras são parte responsável pelas dificuldades do setor na Argentina. O presidente da Associação de Bancos da Argentina (ABA), Mario Vicens, afirmou hoje que os bancos "foram, em parte, responsáveis" pela crise financeira, ao mesmo tempo em que acusou o governo de impor-lhes "compulsoriamente um endividamento público que os levou a acumular atualmente até 60% dos ativos em dívida pública".Mario Vicens disse que ?ninguém pode dizer que não é responsável, parcialmente, pelo que aconteceu e que, aos banqueiros, corresponde parte desta responsabilidade?. Vicens, ex-secretário de Fazenda, disse que hoje "não haveria nenhuma chance" de se pagar as dívidas que o Estado tem com os bancos, simultaneamente à liquidação das obrigações que as instituições financeiras têm com os clientes.Ele afirmou que é justificável alguma tarefa de fomento por parte dos bancos públicos, mas ?não é possível que isso se converta em um instrumento de canalização do gasto público?. Segundo ele, se a economia não andar, ?é irrelevante discutir que classe de bancos se pretende ter na Argentina, porque o futuro do sistema financeiro está intimamente ligado com o futuro da economia?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.