Bancos argentinos estão insolventes, diz a Moody?s

A Moody´s Investors Service divulgou relatório em que afirma que a falta de uma política monetária coerente e de uma política bancária, associada à paralisia dos mercados financeiros locais, estão ameaçando a saúde do crédito e o próprio futuro do sistema bancário da Argentina.Segundo a Moody´s, os bancos argentinos estão insolventes mesmo num cenário otimista, como resultado, em parte, da discrepância entre ativos e passivos provocada pela desvalorização dos ativos, que não foi acompanhada pela pesificação dos passivos em dólar."No mínimo, uma baixa contábil geral das obrigações denominadas em dólar, inclusive os depósitos, em todo o sistema financeiro da Argentina, seria necessária para reequilibrar a economia. A oposição popular a uma baixa contábil dos depósitos, porém, é muito forte. A relutância em reconhecer essa perda nos depósitos é chave para entender os problemas econômicos e monetários enfrentados neste momento pelo país. As distorções de preço criadas pelo regime cambial atual estão, claramente, exacerbando o enfraquecimento da atividade econômica", diz o relatório.O texto acrescenta que "a desvalorização do peso argentino também reduziu a capacidade dos devedores de fazer pagamentos em moeda estrangeira e cria o potencial para perdas de crédito extremamente pesadas para os bancos, resultando de uma deterioração geral da qualidade dos ativos".Para a Moody´s, o custo para o sistema financeiro argentino representará, potencialmente, um múltiplo do nível atual de capitalização do sistema, a não ser que os passivos sejam reduzidos via pesificação; por isso, o sistema precisa de um apoio externo considerável para se recapitalizar."Neste momento, o lado dos ativos do balanço dos bancos está severamente prejudicado, enquanto o lado dos passivos permanece como estava antes da crise, o que resulta em uma insolvência severa. A política de forçar os bancos a pagar em dólar os depósitos em pesos ou em dólar é impossível de aplicar, desde que os bancos não têm dinheiro para isso, e o governo também não tem", diz o relatório.A Moody´s conclui que "a opção mais simples para o governo seria: 1) declarar que os bancos estão insolventes; 2) nacionalizar os bancos; 3) converter os depósitos em pesos desvalorizados ou em bônus do governo; 4) recapitalizar os bancos com bônus em pesos; e 5) leiloar os bancos".Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.