Bancos argentinos podem tem crise de liquidez, diz economista

O economista-chefe da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), Roberto Luís Troster, disse hoje que, assim que o governo argentino liberar o ?corralito?, os bancos podem sofrer uma crise de liquidez. Segundo ele, os depósitos recebidos pelos bancos argentinos foram transformados em empréstimos. Ocorre que, de uma para outra, todas as pessoas querem sacar ao mesmo tempo, mas os empréstimos têm vencimentos maiores. Por isso, o Banco Central tem que oferecer liquidez usando esses empréstimos como garantia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.