Bancos aumentam exigências para empréstimos

A demanda por muitos tipos de empréstimos - comerciais e para o consumidor - caíram nos últimos três meses nos EUA uma vez que os bancos aumentaram as exigências de crédito, contudo, os empréstimos hipotecários permaneceram estáveis, segundo revela pesquisa realizada pelo Federal Reserve. Um número maior de bancos norte-americanos disse que aumentou suas exigências de crédito tanto para empréstimos comerciais como para consumidores em comparação com a pesquisa anterior, informou o Fed. Os bancos apontaram a "piora no cenário econômico e a queda da tolerância para o risco" como as principais razões por trás do aumento de exigências, de acordo a pesquisa do Fed. A demanda e exigências para hipotecas residenciais permaneceram estáveis em relação a pesquisa anterior - de novembro -, disse o Fed. O resultado da pesquisa aumentou as evidências de que o mercado imobilário continua à margem da desaceleração econômica, com os consumidores comprando e construindo casa, enquanto cortam outros tipos de despesas domésticas. Os consumidores enfrentam exigências mais rígidas para muitos dos outros tipos de crédito - excluindo cartão de crédito - de um número maior de bancos que na pesquisa de novembro. Porém, apenas cerca de 20% das instituições prevêem um maior aperto no crédito para o consumidor nos próximos meses, sugerindo que as condições de crédito podem ter alcançado um ponto de estabilização. A nova pesquisa do Fed cobre os meses de novembro e dezembro de 2000 e janeiro de 2001 e foi realizada junto a 57 bancos norte-americanos e 24 bancos estrangeiros que operam nos EUA. Os bancos domésticos e estrangeiros reportaram tendências similares no setor comercial, com mais bancos aumentando as exigências de crédito para empresas que na pesquisa anterior. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.