coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Bancos brigam para conquistar ex-clientes do BB no Rio

Grandes bancos estão numa verdadeiraoperação de guerra para herdar um valioso espólio que o Banco doBrasil (BB) deixará no Rio. Com a rescisão do contrato entre a Prefeitura e o BB,cerca de 110 mil servidores municipais têm menos de duas semanaspara escolher entre dez bancos para receber seus salários. Emabril, a folha de pagamentos municipal correspondeu, de acordocom a Secretaria de Administração, a R$ 100 milhões. Unibanco e Itaú travam duelo à parte na disputa pelosnovos clientes, na qual sobram linhas especiais de financiamento isenção de taxas e até um presentinho de R$ 50 livre paracompras no cartão de crédito para os funcionários. À primeira vista, o contingente pode parecer reduzido,mas equivale, na prática, a 12% do total de correntistas doUnibanco no Estado e a 7% que a dupla Itaú-Banerj tem na região."Representa um crescimento na base de correntistas e um nicho.Nossa força-tarefa está inteira na rua, no local de trabalho,onde tem funcionários públicos", disse o diretor do Unibancopara o Rio, Norte e Nordeste, João Antônio Camargo. Atualmente,o total de correntistas do Unibanco no Rio chega a 890 mil. Para abocanhar o maior número possível de funcionáriosda Prefeitura, além de maciça campanha publicitária, o Unibancooferece um pacote que inclui taxas mais baixas para empréstimose primeira semestralidade grátis do cartão de crédito, mais umdepósito de R$ 50 para gastos no cartão. O Banco Itaú e o Banerj, seu controlado, também disputamos funcionários municipais com um pacote de vantagens eestratégia agressiva, informa o diretor comercial da instituiçãofinanceira, Manoel Antônio Granado.PlantãoO Itaú ampliou o horário de funcionamento dasagências para atender os funcionários municipais, que têm até odia 10 para escolher o novo banco. Durante a semana, pelo menos42 agências abrem uma hora mais cedo e fecham uma hora maistarde. Aos sábados, um grupo delas também abre. O Itaú e o Banerj, que somam 1,6 milhão de clientes noRio, avaliam que já contam com 30 mil adesões do total defuncionários em disputa.IrregularidadesEm meados de maio, o prefeito CésarMaia descredenciou o BB para o pagamento de servidores,pensionistas e prestadores de serviços. Segundo a Prefeitura, o BB teria feito saques indevidosna conta da administração municipal. O BB divulgou no períodoque lamentava o cancelamento do contrato e que a cobrançaestaria prevista no acordo de renegociação da dívida domunicípio com a União. Com isso, dez bancos poderão agora pagaros funcionários municipais, numa lista que também inclui o ABNAmro Real, Banrisul, Bradesco, Bancoop, CEF, HSBC e Santander.

Agencia Estado,

29 de maio de 2002 | 20h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.