Bancos buscam fundos 'âncoras' para IPOs esperados para outubro

Fundos aumentariam a chance de sucesso da abertura de capital de IRB, Caixa Seguridade e BR DIstribuidora

Fernanda Guimarães, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2015 | 02h02

Os bancos de investimento que estão trabalhando na estruturação das ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) esperadas para outubro estão tentando buscar investidores âncoras para aumentar a chance de sucesso dessas operações, conforme fontes com conhecimento no assunto.

Esse apoio, no entanto, ainda não está fechado em nenhuma das ofertas previstas para a próxima janela, conforme apurou o Broadcast, serviço em tempo real da Agência Estado.

Nesse momento a ancoragem vem sendo apontada ainda como mais desejável, não só por conta do momento difícil do mercado, mas também pelo fato de as três ofertas esperadas para a próxima janela serem de empresas que têm a participação do governo no capital: IRB Brasil RE, Caixa Seguridade e BR Distribuidora, subsidiária da Petrobrás.

Assim, um fundo de private equity, por exemplo, no papel de âncora, colocaria na oferta um "selo" dado por esse fundo, passaria também a mensagem de que a gestão da companhia será mais profissionalizada, já que essa é uma das características de fundos desse perfil ao ingressarem no capital de uma determinada companhia.

Ofertas. O arquivamento do pedido dos três IPOs deve ocorrer na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) até o final dessa semana.

A primeira oferta a sair do papel, conforme fontes, será a do IRB, planejada para o início de outubro. Essa oferta, que deve envolver 40% do capital da companhia, deverá girar cerca de R$ 3,5 bilhões.

A da Caixa Seguridade deverá movimentar R$ 10 bilhões, ao passo que BR deverá girar cerca de R$ 7 bilhões, caso seja batido o martelo de que a oferta envolverá 25% do capital da companhia, porcentual mínimo para que as ações sejam listadas no Novo Mercado, que é o segmento de mais elevadas exigências de boas práticas de governança corporativa. As outras duas ofertas também acontecerão nesse segmento especial da BM&FBovespa.

O contato inicial com os investidores, chamado de pilot fishing, é a oportunidade para que esses potenciais fundos âncoras sejam identificados. Das três companhias, o IRB seria o único que não iniciou até aqui o pilot fishing, conforme fontes.

Desafio. O momento é visto como bastante desafiador para a realização das ofertas, mas elas seguem confirmadas para outubro, tendo em vista o contexto do papel dessas operações ao ajuste fiscal promovido pelo governo.

Outro ponto é o volume total das três ofertas, que deve girará em torno de R$ 20 bilhões. Uma fonte disse que há liquidez para conseguir emplacar todas, mas certamente não serão transações fáceis.

Procurados, IRB, Caixa Seguridade e Petrobrás não comentaram.

Tudo o que sabemos sobre:
Bancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.