Bancos buscam segurança no dólar

O Banco Central (BC) e as instituições financeiras travam uma disputa velada para saber o nível ideal da taxa de câmbio. Os bancos assumiram uma posição defensiva e, nos últimos dois meses, abarrotaram suas carteiras com dólares, apostando em mais desvalorização do real.Pelos dados do BC, entre o final de março até o início desta semana, a quantidade de dólares retida no sistema financeiro aumentou em US$ 4,8 bilhões, o que se refletiu em aumento da taxa de câmbio. Por outro lado, diante do fluxo altamente favorável de moeda estrangeira para o País por causa do aumento das exportações, o BC aposta que os bancos não conseguirão manter muito tempo essa posição. Com isso, eles terão de vender os dólares no mercado, fazendo a cotação recuar.O BC limita em US$ 6 milhões o total de dólares que cada banco pode ter em carteira, o que significa um volume máximo de US$ 790 milhões para todo o sistema financeiro. Os cerca de US$ 4 bilhões que estão ultrapassando essa quantia atualmente ficam depositados no BC, sem remuneração. Ainda assim, ao sustentar essa posição, os bancos estão apostando que é mais rentável ficar com os dólares do que trocá-los por reais e fazer outra aplicação, como adquirir título público, por exemplo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.