Bancos devem ir à Justiça contra aumento da CSLL

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) deve anunciar hoje que entrará na Justiça contra o aumento de 9% para 15% da alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) do setor financeiro. A elevação foi uma das medidas anunciadas no início do ano pelo governo para compensar o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF).Na época, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o setor financeiro havia sido escolhido por causa dos altos lucros registrados nos últimos anos. ?Os bancos estão ganhando, eles vão poder pagar um pouco mais. Nós resolvemos taxar o lucro líquido desses bancos?, disse, em uma das edições de seu programa de rádio Café com o Presidente.A Febraban contesta a idéia de que a área financeira lucra mais no Brasil do que outros segmentos da economia. A entidade promete apresentar hoje, em São Paulo, estudos que comprovam essa tese. Um dos trabalhos foi elaborado pelo economista Domingos Pandeló, professor do Ibmec São Paulo. Segundo a Febraban, Pandeló concluiu que os resultados das instituições financeiras, em termos de rentabilidade, podem ser considerados compatíveis com os observados pelas maiores empresas. Em janeiro, o presidente da Febraban, Fabio Barbosa, já havia alertado que as instituições financeiras poderiam recorrer à Justiça contra a cobrança. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.