Bancos deverão reescalonar crédito consignado, diz Febraban

'Estamos dispostos a colaborar para que a crise afete o menos possível a nossa economia', disse Hélio Duarte

AE, Agencia Estado

18 de fevereiro de 2009 | 16h25

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e a Força Sindical assinaram nesta quarta-feira, 18, um protocolo que orienta as principais instituições financeiras do País a reescalonar o pagamento de crédito consignado para trabalhadores que aceitaram redução ou suspensão provisória dos salários. De acordo com o diretor executivo da Febraban, Hélio Duarte, a adesão dos bancos deve ser plena, pois tais instituições já foram consultadas e indicaram que vão aceitar as condições do acordo. "Estamos dispostos a colaborar neste esforço para que a crise afete o menos possível a nossa economia", comentou.   Veja também: De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Para o presidente da Força, o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), a iniciativa merece um elogio aos bancos, pois a medida deve diminuir a pressão sobre os consumidores numa conjuntura difícil como a atual. "Este protocolo é importante, pois dá mais fôlego ao trabalhador para honrar seus compromissos quando uma parte do seu salário é diminuída para não perder o emprego", afirmou Paulinho. "Para o banqueiro, o negócio também é bom, pois é melhor ganhar um pouco de quem fez o crédito consignado do que não receber nada." O documento deve vigorar até o final deste ano, mas pode ser renovado.De acordo com o protocolo, o trabalhador que registrar uma redução do salário devido à negociação entre seu sindicato e a empresa empregadora terá a mesma proporção do crédito consignado adiada. Por exemplo: se um operário registra os descontos de R$ 400 por mês por causa do crédito consignado e se 15% dos seus vencimentos forem reduzidos temporariamente por causa da crise, o pagamento de R$ 60,00 será postergado. De acordo com Duarte, os valores descontados serão acrescidos ao final do pagamento do financiamento.

Tudo o que sabemos sobre:
crédito consignadobancos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.