Bancos dizem que vão recorrer à linha de crédito do Fed

A diretora-financeira do banco de investimentos americano Lehman Brothers, Erin Callan, afirmou hoje em entrevista à rede de notícias financeiras CNBC a intenção do banco de recorrer à linha de crédito criada domingo passado pelo Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) e reconheceu que a instituição enfrentou dificuldades com as especulações de que seria o próximo banco da lista, após o colapso do Bear Stearns, no fim de semana. Callan afirmou que o banco preparou-se nos últimos anos para situações como essa, mas acrescentou que as dificuldades não acabaram e que mais baixas contábeis devem ser informadas no segundo trimestre deste ano.Fontes disseram à CNBC que o banco Lehman Brothers sacou US$ 2 bilhões da nova linha do Fed, o que, segundo a CNBC, é um volume pequeno para o tamanho da instituição.Callan revelou que o Lehman enfrentou dificuldades diante de todos os rumores de que também estava com problemas. "Nós sabemos que somos sempre o próximo nome da lista", disse. "Não houve grande repercussão pelo fato de que aprimoramos nossa franquia dramaticamente na última década. De fato, nós estruturamos nossa liquidez exatamente para este tipo de situação. Portanto, estamos em boa posição."Goldman SachsO banco Goldman Sachs disse que está testando a linha de crédito do BC americano e pode, potencialmente, fazer uso desses recursos. "Nós acreditamos que a janela do Fed oferece uma boa alternativa para os mercados de securitização e saudamos a iniciativa", disse um porta-voz do Goldman Sachs. "Estamos testando isso esta semana e certamente faremos uso dela se fizer sentido do ponto de vista de diversificação econômica e de financiamento."Ontem, as ações do Lehman Brothers subiram 46,43% e as do Goldman Sachs avançaram 16,27% na Bolsa de Nova York, depois de as duas instituições divulgarem balanços trimestrais melhores que os esperados.A linha de crédito aos "primary dealers" (bancos credenciados a negociar com a autoridade monetária) é uma das várias iniciativas criadas pelo Fed recentemente para ajudar a liquidez no mercado de crédito. A linha permite que 20 bancos que negociam diretamente com o banco central tomem recursos emprestados recursos em troca de um leque maior de garantias. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.