Bancos dos EUA devolvem ajuda recebida do Tesouro

Os bancos JPMorgan Chase, Morgan Stanley e outras entidades financeiras anunciaram ontem a devolução dos bilhões de dólares recebidos do governo americano na crise financeira. O reembolso dos empréstimos foi anunciado oito dias depois que o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos autorizou um grupo de bancos a recomprar as ações preferenciais que tinham direito, já que as entidades cumpriram os requerimentos de capital exigidos.Em comunicado, o JPMorgan informou a devolução dos US$ 25 bilhões recebidos pelo Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês). Além disso, devolveu ao Tesouro cerca de US$ 795 milhões em dividendos, pelas ações preferenciais.A entidade financeira, que faz parte das 30 companhias do índice Dow Jones Industrial, da Bolsa de Nova York, foi incluída em um grupo de nove bancos americanos que as autoridades reguladoras consideraram não precisar de capital adicional para enfrentar um possível agravamento da situação econômica, no prazo de dois anos.Análises do Federal Reserve (o banco central americano), do Tesouro americano e de outras agências reguladoras dos EUA, no início do ano, concluíram, no entanto, que outras dez entidades pediram cerca de US$ 75 bilhões adicionais para fazer frente às potenciais perdas no caso de piora da recessão. Entre essas instituições, estão o Bank of America e o Citigroup.O Morgan Stanley expressou ontem sua satisfação por ter conseguido devolver ao Tesouro US$ 10 bilhões dos fundos públicos e agradeceu, em comunicado, o apoio do governo e do Congresso "durante este difícil período". O Goldman Sachs também reembolsou as 10 milhões de ações preferenciais e pagou US$ 10,04 bilhões, incluindo dividendos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.