Bancos dos EUA prevêem recuperação só no 2º semestre

O crescimento econômico dos Estados Unidos será fraco este ano, mas um "modesto" pacote de estímulo fiscal de cerca de US$ 100 bilhões poderá levar a uma recuperação no segundo semestre de 2008, segundo avaliação de economistas do setor bancário. Com o freio dos investimentos no setor imobiliário pesando sobre a economia no curto prazo, o painel de economistas da Associação dos Bancos Americanos coloca a probabilidade de recessão em 50%.Entretanto, uma rápida ação das autoridades em Washington para cortar as taxas de juro e aprovar um pacote de medidas de estímulo fiscal provavelmente vai levar a uma destacada aceleração da atividade no meio do ano, segundo o grupo. "As chances de uma virada certamente se intensificam substancialmente se os formuladores da política em Washington tiverem sucesso em implementar um plano de estímulo econômico", disse Peter Hooper, presidente do Comitê Consultor da Associação de Bancos Americanos e economista-chefe do Deutsche Bank Securities, uma unidade do banco alemão em Nova York.De maneira ideal, o pacote de estímulo fiscal deve ser "algo que seja de ampla base", disse Hooper, acrescentando que precisa ser implementado no curto prazo, enquanto a economia ainda está frágil. Os comentários de Hooper foram feitos em um momento que cresce a pressão por um pacote de estímulo fiscal, com os líderes do Congresso e membros da administração do presidente George W. Bush pedindo políticas que tenham o objetivo de lidar com os crescentes temores de recessão.Apoio do FedO presidente do banco central americano (Fed), Ben Bernanke, disse ontem que endossava um plano de estímulo fiscal rápido e temporário de até US$ 150 bilhões. E Bush pediu hoje um pacote de alívio fiscal e de incentivos para as empresas e indivíduos com o objetivo de ajudar a proteger a economia de uma severa espiral, sem no entanto divulgar detalhes específicos.Um pacote de estímulo fiscal ao redor de US$ 100 bilhões seria suficiente para elevar os gastos na segunda metade de 2008, disse Hooper em entrevista coletiva à imprensa em Washington. "Eu diria que queremos ver um pacote que seja considerável. Que deva atingir uma ampla faixa da economia para ser eficaz", disse.Para lidar com os riscos de recessão, os economistas da Associação dos Bancos Americanos esperam que o Fed corte sua taxas de juro de curto prazo em 0,50 ponto porcentual no final deste mês e depois disso mais dois cortes de 0,25 ponto em março e abril. No final, esses cortes reduziriam a taxa dos Fed Funds dos atuais 4,25% para 3,25% ao ano na metade de 2008.Contudo, ainda não está claro como a economia vai se manter se os líderes em Washington falharem em aprovar medidas de estímulo, disse Hooper. "A ausência de qualquer outra notícia positiva, não seria uma boa notícia, disse. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.