Bancos elevam juros de cheque especial, indica Procon-SP

Os juros cobrados pelos bancos no cheque especial subiram. De acordo com pesquisa realizada pela Fundação Procon-SP no último dia 9, na comparação com levantamento de 3 de setembro, a taxa média mensal do cheque especial passou de 8,03% para 8,18%, enquanto a taxa média mensal do empréstimo pessoal ficou estável em 5,27%. O levantamento envolveu sete instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Safra e Santander.

RENAN CARREIRA, Agencia Estado

17 de outubro de 2013 | 11h57

Segundo o Procon-SP, as altas verificadas nas taxas de cheque especial ocorreram no Banco do Brasil, que alterou a taxa para essa modalidade de 6,02% para 6,07% ao mês; no HSBC, de 9,82% para 9,90% ao mês; no Santander, de 10,09% para 10,59% ao mês; e no Itaú, de 8,75% para 9,13% ao mês. As demais instituições financeiras mantiveram suas taxas de cheque especial.

No geral, as menores taxas de empréstimo pessoal e de cheque especial foram verificadas na Caixa Econômica Federal, 3,51% e 4,41% ao mês, respectivamente. Já a taxa mais alta de empréstimo pessoal foi encontrada no Bradesco (6,27%) e a maior taxa na modalidade de cheque especial foi verificada no Santander (10,59%).

Conforme a entidade, os dados usados no levantamento se referem a taxas máximas prefixadas para clientes (pessoa física) não preferenciais, independente do canal de contratação. Para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias. Já para o empréstimo pessoal, o prazo de contrato é de 12 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
juroscheque especialProcon-SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.