Bancos emprestam menos em janeiro e juro médio ao consumidor sobe para 52% ao ano

Bancos emprestam menos em janeiro e juro médio ao consumidor sobe para 52% ao ano

Inadimplência subiu na maior parte das linhas de empréstimo; Banco Central começa a divulgar juro médio do cartão de crédito

Célia Froufe e Laís Alegretti, O Estado de S. Paulo

25 Fevereiro 2015 | 11h14

Os bancos emprestaram menos dinheiro aos clientes em janeiro. Ao mesmo tempo, a taxa média de juros subiu e a inadimplência ficou maior na maior parte das linhas de crédito.

A média diária de empréstimos em janeiro caiu 14,7% em janeiro (considerando crédito livre e direcionado). O total das concessões diárias ficou em R$ 14,4 bilhões em janeiro.

No crédito livre, a queda foi de 10,2% em janeiro em relação a dezembro, para R$ 12,6 bilhões. Já no crédito direcionado, a média despencou 36,9% na comparação mensal. Esse montante do crédito direcionado somou R$ 1,8 bilhão no mês passado. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira, 25, pelo Banco Central.

O crédito livre engloba todos os empréstimos e financiamentos que não fazem parte das políticas do governo, como o cartão de crédito, o cheque especial, o crédito para compra de veículos, os empréstimos pessoais, entre outros. Já o crédito direcionado representa os recursos com taxas de juros direcionadas pelo governo, como o crédito imobiliário e o agrícola.

Taxa de juros. A taxa média de juros ao consumidor, no crédito livre, passou de 50,1% em dezembro para 52,6% em janeiro. Para pessoa jurídica, houve alta de 24,2% para 25,2% no período. Na média geral, a taxa subiu de 37,6% ao ano em dezembro para 39,4% ao ano em janeiro.

A taxa de inadimplência média no crédito livre ficou em 4,5% em janeiro, contra 4,4% em dezembro. Para pessoa física, o calote diminuiu na margem de 5,5% no último mês de 2014 para 5,4% no primeiro mês de 2015. No caso das empresas, subiu de 3,4% para 3,5% de um mês para o outro. A inadimplência do crédito direcionado avançou de 1,0% em dezembro para 1,1% em janeiro deste ano. O dado que considera crédito livre mais direcionado mostra inadimplência de 2,9% no mês passado, ante 2,8% em dezembro de 2014.

No crédito livre para pessoa física, a inadimplência no crédito pessoal passou de 3,8% em dezembro do ano passado para 3,9% em janeiro. No cheque especial, recuou de 13,8% para 13,7% na comparação mensal. Na aquisição de veículos, a taxa permaneceu em 3,9% de dezembro para janeiro. No cartão de crédito, avançou de 7,4% para 7,5% na mesma comparação.

Mudanças. Na divulgação deste mês, o Banco Central fez alterações na nota de crédito, com destaque para a inclusão das taxas de juros de cartão de crédito, o que alterou os dados inclusive dos meses anteriores.

Por enquanto, a instituição ainda não atualizou a série histórica da nota de crédito em seu site. O BC passou a regulamentar o setor de cartões em maio de 2013. O BC também passa, a partir de agora, a detalhar os saldos de crédito por atividade econômica e por regiões. Também amplia as informações sobre cheque especial e conta garantida, que passam a incorporam os excessos sobre os limites contratuais dos correntistas.

"Faz-se necessário mencionar que as revisões das estatísticas de crédito, particularmente daquelas que fazem referência a consolidação das operações, refletiram ajustes conceituais, reclassificações de operações entre modalidades e, sobretudo, a incorporação de novas informações, em especial, das taxas de juros do cartão de crédito, afetando os cálculos consolidados para as taxas de juros e os spreads", informou a instituição.

Em mais uma etapa do aperto monetário, em janeiro o Comitê de Política Monetária (Copom) elevou em 0,5% a taxa Selic, a 12,25% ao ano. A expectativa do mercado é de nova alta na quarta-feira da próxima semana, quando o comitê volta a se reunir.

Mais conteúdo sobre:
banco central

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.