Bancos estudam perdão a dívida do FCVS

O perdão do saldo devedor não está garantido para todos os mutuários que têm contrato pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) assinado até 31 de dezembro de 1987 com cobertura do Fundo de Compensação das Variações Salariais (FCVS). Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Crédito, Investimento e Poupança (Abecip), como a medida é facultativa, alguns bancos não devem oferecer o desconto ao mutuário.Isso porque o saldo devedor será assumido pelo governo, mas o pagamento ao agente financeiro será feito com títulos de 30 anos e juro de 3% ao ano para contratos que utilizam o FGTS e de 6% para contratos feitos por meio de poupança. Portanto, dependendo do contrato, não é interessante para o banco oferecer a quitação ao contratante.Caixa Econômica Federal e Banco Real já informaram que vão dar a quitação com 100% de desconto. Mutuários do Itáu precisam aguardar, porque a instituição informou que somente após analisar cada contrato entrará em contato com o mutuário. Além disso, o Itaú ainda não definiu o porcentual do desconto. O Bradesco e o Unibanco vão aderir, mas por enquanto não definiram o procedimento nem o porcentual de desconto.

Agencia Estado,

03 de outubro de 2000 | 19h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.