Bancos fecham captação para fundos cambiais

Clientes não conseguiram aplicar em fundos cambiais de dois dos maiores bancos do País; Bradesco nega

Patricia Lara, da Agência Estado,

10 Outubro 2008 | 17h57

Clientes que tentaram aplicar em fundos cambiais em dólar motivados pela recente valorização da moeda em relação ao real não conseguiram fazê-lo nas agências de dois dos maiores bancos do País. Em uma agência do Banco Bradesco, em São Paulo, um gerente do segmento prime informou que os fundos cambiais estão fechados para captação há dois dias. "O investidor pode sacar apenas. Para captações, é impossível garantir ao cliente que o gestor vá encontrar ativos em dólar na atual escassez da moeda e na alta de contratos futuros", contou. Segundo ele, todos os fundos estão fechados, inclusive no varejo. Veja também:Wall Street tem a pior semana em 112 anos Dólar sobe 6,9%, a R$ 2,32, o maior valor desde 2006 Bush receberá ministros do G7 na Casa BrancaComo o mundo reage à crise Reino Unido congela ativos do banco islandês LandsbankiFMI age para garantir crédito a emergentesConfira as medidas já anunciadas pelo BC contra a criseEntenda a disparada do dólar e seus efeitosEspecialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  A assessoria de imprensa do Banco Bradesco negou, categoricamente, que os fundos cambiais de dólar tivessem sofrido interrupções na captação. Segundo a assessoria, apenas na quarta-feira pela manhã, quando o dólar disparava, as captações de recursos eram feitas "sob consulta". De acordo ainda com a assessoria do Banco Bradesco, é feita uma consulta para avaliar a oportunidade para se investir quando ocorre uma fila de investidores interessados em aplicar naquele fundo."Deve ter ocorrido algum engano na agência", comentou a assessoria de imprensa do Bradesco. Uma gerente do Banco Itaú, da agência Personnalité Cidade Jardim, em São Paulo, ao ser contatada por um cliente interessado em aplicar em fundo cambial também informou que não havia qualquer fundo desse tipo disponível para captações, independentemente do valor que o cliente quisesse colocar. Procurada desde a última quinta pela reportagem, a assessoria de imprensa do Banco Itaú não se pronunciou. Saques Segundo os dados mais recentes do site financeiro Fortuna, a indústria de fundos cambiais registrou saques líquidos (aplicações menos resgates) de R$ 42,272 milhões desde o início de setembro até o dia 8 deste mês. Em outubro, a captação está positiva em R$ 22,683 milhões. Mas entre os principais fundos cambiais oferecidos no varejo há alguns que, no último dia 8, não registraram nem resgates nem aplicações.  O diretor do Fortuna, Marcelo D'Agosto, lembra que os números de curto prazo estão sujeitos a alterações, já que pode haver atrasos por parte dos gestores na comunicação das informações à base de dados. Somente neste mês de outubro, o dólar comercial teve alta de 21,98% . No ano, a alta foi de 30,70%. Gestores de fundos podem fechar a captação de novos recursos para um fundo por várias razões. A captação pode ser interrompida, por exemplo, por causa da volatilidade dos ativos que compõem a carteira ou por causa de dificuldades para se comprar algum ativo. Fundos cambiais em dólar têm grande parte de suas carteiras compostas por títulos indexados à variação cambial e por operações nos mercados futuros, de swap e de opções de taxas de câmbio. O fechamento da captação de recursos também pode ser determinado para preservar os cotistas da ação de especuladores, que tendem a entrar e sair com muita rapidez, provocando oscilações no patrimônio. No geral, os gestores também podem fechar captações quando o patrimônio do fundo atinge valores elevados, o que pode inviabilizar a adoção de determinadas estratégias de investimentos.

Mais conteúdo sobre:
fundos cambiaiscrise dos EUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.