Bancos franceses terão plano de rolagem da dívida grega

Bancos franceses irão propor amanhã um plano para organizar uma intervenção ordenada de credores do setor privado na resolução da crise da dívida soberana da Grécia, informaram pessoas familiarizadas com o assunto neste domingo, segundo reportagem publicada no Wall Street Journal.

AE, Agencia Estado

26 de junho de 2011 | 13h59

A proposta consiste nos credores privados reduzirem pela metade sua exposição à Grécia, rolando apenas cerca de 50% dos títulos do governo grego que detêm, de acordo as fontes. Pelo plano, as instituições financeiras efetivamente diminuirão sua exposição, mas ficarão atadas à Grécia por um longo período, comprometendo-se a comprar títulos de até 30 anos da dívida grega, explicaram as fontes.

A proposta também prevê a criação de um fundo especial no qual credores privados reinvestirão quase 20% do capital coletado, quando os títulos do governo grego vencerem. O fundo especial agiria como uma apólice de seguro para o caso de a Grécia dar calote em alguns títulos de 30 anos, acrescentaram as fontes.

Autoridades do governo francês informaram que o plano elaborado pelos bancos do país forneceu uma "solução interessante" que "vale a pena explorar." Os governos europeus disseram querer que credores do setor privado rolem até 30 bilhões de euros em títulos do governo grego.

Bancos franceses pretendem introduzir a proposta em um reunião amanhã do Instituto Internacional de Finanças, em Roma, afirmaram pessoas com conhecimento do assunto. Um porta-voz do instituto confirmou que a associação terá uma reunião de credores da Grécia amanhã. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaGréciacrisedívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.