Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Bancos japoneses têm lucro recorde no ano fiscal de 2005

Os seis grandes grupos bancários japoneses registraram lucros recorde e diminuíram notavelmente o número de créditos não pagos durante o ano fiscal de 2005, segundo os últimos resultados divulgados nesta terça-feira. No período entre 1º de abril de 2005 e 31 de março de 2006, oslucros líquidos consolidados somados chegaram a 3,12 trilhões de ienes (US$ 27,86 bilhões), valor 4,3 vezes maior que no ano fiscal anterior.Os melhores resultados foram do Mitsubishi UFJ Financial Group (MUFG), com um lucro líquido de 1,18 trilhão de ienes (US$ 10,54 bilhões) em seu primeiro ano depois da fusão. O maior banco do mundo em ativos foi criado em 1º de outubro com a união do Mitsubishi Tokyo e do UFJ Holdings. Os grupos financeiros Mizuho e Sumitomo Mitsui, o segundo e terceiro grupos bancários mais importantes, também conseguiram lucros recorde ao registrar respectivamente 649,9 bilhões de ienes (US$ 5,8 bilhões) e 686,8 bilhões (US$ 6,13 bilhões). Os outros três, Sumitomo Truste & Banking, Mitsui Truste Holding e Resona Holding, obtiveram lucros líquidos sem precedentes em seus registros de contabilidade. Os seis principais bancos japoneses atribuíram a maior parte de seu lucro à valorização de suas ações nas bolsas de valores. O indicador de referência da Bolsa de Tóquio, o Nikkei, aumentou 46% no ano fiscal de 2005, encerrando o período aos 17.059,66 pontos, em comparação com os 11.688,95 pontos do ano anterior. Além disso, os créditos não pagos dos seis bancos foram notavelmente reduzidos. Em 31 de março a moratória a estes bancos era de 4,82 trilhões de ienes (US$ 43 bilhões), frente aos 6,35 trilhões de ienes (US$ 56,69 bilhões) registrados em 30 de setembro e 2005.O resultado é uma queda da taxa de créditos não pagos a uma faixa de 0,9% e 2,6% em 31 de março, em comparação com a de 1,2% e 3,0% em 30 de setembro.

Agencia Estado,

23 de maio de 2006 | 15h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.