Bancos lançam novos fundos de investimento

Os bancos estão se preparando para colocar no mercado os novos fundos de investimentos para compras de ações da Petrobrás, cuja oferta pública de papéis ocorrerá entre julho e agosto. O Bradesco colocará três fundos à disposição dos interessados. Segundo o diretor de Adminsitração de Recursos de Terceiros da Área de Fundos do Bradesco, dois deles estarão disponíveis na rede para qualquer investidor: um fundo mútuo de privatização (FMP), para compra dos papéis com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); e um fundo de carteira livre, exclusivo para ações da Petrobras, em que o investidor poderá aplicar recursos próprios. O terceiro fundo será exclusivo para os associados da Força Sindical. O fundo mútuo de privatização para uso do FGTS estará disponível para o optante que tiver saldo mínimo de R$ 600 na conta vinculada. Como, pela legislação, o optante pode usar até 50% do seu saldo para adquirir as ações, a aplicação mínima será de R$ 300. O investimento máximo também estará limitado a 50% do FGTS. No fundo de carteira livre, o investimento mínimo será de R$ 1 mil e o máximo R$ 100 mil. A taxa de administração poderá ser fixada em 3%. Mas ainda depende da aprovação da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o que deverá ocorrer até sexta-feira. A Caixa Econômica Federal também confirmou que colocará dois fundos à disposição dos interessados. Um para uso do FGTS, sem aplicação mínima, e outro específico para compra de ações da Petrobrás, para uso aquisição dos papéis com recursos próprios. No último, o piso de aplicação ainda não está definido. Em ambos, a taxa de administração deverá ficar entre 0,5% e 2%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.