Bancos lideram investimento estrangeiro no Brasil

No mesmo período de 2007, a participação do setor era de 13,2% e os bancos ocupavam o 2º lugar no ranking

FERNANDO NAKAGAWA E FABIO GRANER, Agencia Estado

28 de abril de 2008 | 17h50

Setor que mais sofre com a crise imobiliária nos Estados Unidos, os bancos lideraram o Investimento Estrangeiro Direto (IED) no Brasil no primeiro trimestre de 2008. Dados divulgados nesta segunda-feira, 28, pelo Banco Central revelaram que 15,4% do ingresso de IED entre janeiro e março foi realizado pelo setor financeiro - valor equivalente a US$ 1,257 bilhão. Em igual período do ano passado, a participação do setor era de 13,2% e os bancos ocupavam o 2º lugar no ranking.O chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, diz que a crise financeira nos EUA tem prejudicado alguns bancos, sobretudo aqueles que operavam no segmento imobiliário de maior risco, mas que isso não impede que instituições com foco em outros setores e, principalmente, de outros países - como os da Europa - invistam no Brasil.No segundo lugar entre os segmentos que mais investem no Brasil estão as empresas do setor metalúrgico, que trouxeram 10,3% do IED no primeiro trimestre, ou cerca de US$ 841 milhões. No ano passado, as empresas desse ramo lideravam o investimento, com 13,7% do IED do trimestre. As metalúrgicas têm sido beneficiadas pelo bom momento da economia brasileira, que tem gerado recordes em setores como o de veículos.As montadoras de veículos, inclusive, são as que completam o ranking do IED, com o terceiro lugar entre os que mais investiram no Brasil no trimestre. Entre janeiro e março, o setor trouxe 7,2% do IED. Em igual período do ano passado, o segmento era responsável por apenas 2,5% do IED, o que conferia o 12º lugar no ranking.As montadoras têm obtido forte resultado financeiro no Brasil com a venda recorde de veículos no mercado interno. Há, contudo, algumas empresas desse segmento, principalmente as com capital americano, que têm registrado dificuldades financeiras nas sedes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.