Bancos mantêm taxa de juros após Copom; só BB admite estudar ajuste

Os bancos estão mantendo as taxas de juros cobradas dos clientes, apesar da alta da Selic, a taxa básica de juros da economia, decidida ontem pelo Comitê de Política Monetária (Copom). O aumento foi de 0,50 ponto porcentual, acima do esperado pelo mercado, que era 0,25 ponto. Com isso, a Selic passou para 16,75% ao ano.Bradesco, Unibanco e HSBC informaram que vão manter as taxas dos empréstimos a pessoas físicas e jurídicas. O Itaú disse que não tem previsão de mudança nos juros por enquanto. A Caixa Econômica Federal (CEF) também não alterou nada. Já o Banco do Brasil (BB) foi mais cauteloso e admitiu que estudará o tema."Acredito que é prudente reajustar as taxas quando sobe o custo do dinheiro", disse o vice-presidente de Varejo e Distribuição do BB, Edson Monteiro. Segundo ele, a instituição avaliará o impacto do aumento dos juros para identificar onde há espaço de ajuste. A decisão de elevação ou não das taxas será tomada pelo conselho diretor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.