Andre Dusek/AE
Andre Dusek/AE

carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

''Bancos não sabem usar microcrédito''

Especialista volta ao País para falar sobre o tema

Roberta Scrivano, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2011 | 00h00

O microcrédito (empréstimo para baixa renda) foi regulamentado no Brasil em junho de 2003. Até agora, porém, a modalidade não se desenvolveu sobretudo porque os bancos não sabem ofertá-la. A conclusão é do maior especialista no tema, Muhammad Yunus, Nobel da Paz de 2006.

Yunus, que mora em Bangladesh, país que faz fronteira com a Índia, desembarcou no Brasil ontem. E, com atraso de quase duas horas, após ter sido barrado na imigração do Aeroporto de Guarulhos, conversou com jornalistas. "O microcrédito pode se dar de uma forma robusta e relevante no Brasil", garantiu. Ele disse também que, se encontrar um bom parceiro no País, está disposto a auxiliar no desenvolvimento dessa modalidade de crédito.

No Brasil, os bancos podem direcionar 2% do compulsório para a modalidade, em vez de deixá-los depositados no Banco Central. "Mas, como a maioria deles não sabe usar esses 2% no microcrédito, os deixam no BC."

Yunus frisou que o objetivo de ampliar o microcrédito no mundo é acabar com a miséria. O economista foi reticente, no entanto, em dizer que programas como o Bolsa Família são bons para combater a miséria.

O economista citou casos da Alemanha e Reino Unido, nos quais existem "até cinco gerações vivendo de assistencialismo". "E o microcrédito pode ajudar a sair do assistencialismo." Ele participa hoje do Fórum de Comunicação e Sustentabilidade, em Belo Horizonte.

Sobre a sua exoneração do comando do Grameen Bank, banco de microcrédito fundado por ele, Yunus reforçou o que já havia declarado: "Foi uma decisão unilateral do governo de Bangladesh".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.