Bancos negam antecipar aumento e bancários protestam

A Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), reunida hoje com a diretoria da Confederação Nacional dos Bancários (CNB), negou o pedido de antecipação salarial de 15% reivindicado pela categoria. A Fenaban argumenta que "não concorda com a prática de antecipações" e que o reajuste antes da data base para o dissídio coletivo da categoria, em setembro, poderia alimentar a inflação. A executiva nacional da CNB orientou os sindicatos da categoria a iniciarem protestos contra os bancos em todo o País."A orientação que demos é para que os sindicatos denunciem as altas tarifas e as altas taxas de juros cobradas pelos bancos, a má qualidade do atendimento e que também informem a população que as instituições financeiras estão entre as grandes devedoras da Previdência", afirmou o presidente da CNB, Wagner de Freitas.Ele disse que a confederação já começou a produzir, com todos os sindicatos filiados, um jornal com o que ele chamou de "denúncias contra os banqueiros" para ser distribuído no Brasil. "Diante da decisão da Fenaban, vamos radicalizar a campanha salarial em curso. A categoria vive um achatamento salarial e este modelo de arrocho já foi praticado no passado e não foi eficiente para combater nem a inflação e nem as altas taxas de juros", afirmou Freitas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.