Bancos oficiais preparam estudos sobre redução de juros

Os bancos oficiais federais terão de apresentar para o governo, até o final deste mês, um estudo detalhado com o objetivo de reduzir o spread ? diferença entre a taxa de captação de recursos junto aos investidores e os juros cobrados nos empréstimos. O estudo tem como finalidade pressionar os bancos comerciais a reduzirem também as taxas, já que os juros dos bancos oficiais deverão se tornar mais atrativos.?Os bancos oficias foram chamados a fazer esse esforço para a redução do spread?, afirmou hoje o vice-presidente da Caixa Econômica Federal, João Carlos Garcia, após cerimônia do programa Fome Zero em São Paulo. Segundo ele, o governo convocou as instituições financeiras federais a realizarem um esforço para a redução das taxas de juros. ?A nossa intenção é trabalharmos com as menores taxas que conseguirmos. Para isso, teremos de adotar também um esforço muito grande para reduzir custos, porque dentro do spread existe uma composição muito complexa.? Ele garantiu que a Caixa "está se esforçando muito para isso."O vice-presidente da CEF manifestou preocupação com a taxa básica de juros, que será definida na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) nesta terça e quarta-feira. ?A CEF, como todos os demais bancos, tem tido um retorno razoável na aplicação dos títulos públicos. Agora, como um banco público, um banco do governo federal, temos de reconhecer que estamos muito preocupados com a questão dos juros no Brasil, assim como toda a sociedade?, disse.Garcia participou da cerimônia que formalizou a Prefeitura de São Paulo como principal articuladora do Programa Fome Zero, do governo federal, na capital paulista. Para o vice-presidente da CEF, participar de um programa desse porte mostra o lado social da instituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.