Bancos prevêem corte na Selic mais cedo, em abril

Um grupo de 42 bancos antecipou de julho para abril de 2008 sua expectativa média da retomada dos cortes da Selic, taxa básica de juros, que está atualmente em 11,25% ao ano. A informação foi divulgada hoje pela Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), com base em um levantamento realizado com instituições financeiras. Apesar dessa alteração, pouca mudança foi vista para a taxa ao final do ano, que passou de 10,29% em setembro, mês da pesquisa anterior, para 10,34% agora. ?O ponto de chegada da Selic em 2008 permaneceu o mesmo?, considerou o economista-chefe da Febraban, Nicola Tingas.Na opinião do economista, a expectativa dos bancos de que a redução pode vir um pouco mais cedo indica que houve uma avaliação de que a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), de manter a Selic na última reunião foi acertada. ?Há uma percepção por parte das instituições de que a demanda realmente está forte. O mercado, com suas previsões, mostra que as decisões do Banco Central estão sendo muito bem-sucedidas?, acrescentou.De acordo com a economista-sênior da Federação, Ana Higa, apesar de na pesquisa anterior a amostragem das estimativas para a decisão do Copom de outubro estar mais dividida, a manutenção da taxa básica de juros este mês não surpreendeu os agentes. ?A manutenção não foi nenhum surpresa porque se contava com uma parada este ano. Uns aguardavam a pausa para outubro e outros, para dezembro?, disse. O levantamento da Febraban aponta também que, dos 42 bancos consultados, 97,1% acreditam na continuidade da Selic em 11,25% em dezembro, quando o Copom se reunirá pela oitava e última vez este ano. Para a reunião de janeiro, esta fatia cai para 90,0% e, para o encontro de março, se reduz para 69,7%. Para abril, 42,4% das instituições consultadas esperam redução de 0,25 ponto porcentual, enquanto 12,1% já prevêem queda maior, de 0,50 ponto porcentual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.