Bancos preveem crédito mais fraco

Segundo pesquisa da Febraban, previsão de alta nas operações de crédito deste ano recuoude 13,1% para 12,4%

BEATRIZ BULLA, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2014 | 02h04

A pesquisa Febraban de Projeções Macroeconômicas e Expectativas de Mercado divulgada ontem aponta que a previsão geral dos bancos para o desempenho do crédito em 2014 (operações de crédito da carteira total) recuou de 13,1% no levantamento de abril para 12,4% na pesquisa de junho. Para 2015, a previsão também ficou em 12,4%, ante expectativa anterior de 12,7%.

O crédito com recursos livres, segundo os bancos, deve crescer 10,2% em 2014 (projeção anterior era de 11,3%) e 10,7% em 2015 (ante previsão em abril de 11,0%). A projeção para o crédito direcionado passou de 17,6% para 16,2%, em 2014, e de 16,4% para também 16,2% em 2015.

A previsão é de que a taxa de inadimplência, acima de 90 dias, fique em 4,9% neste ano (ante projeção de 5,0% na pesquisa anterior). Para 2015, a inadimplência deve ficar no mesmo nível (4,9%) de acordo com o levantamento atual. Em abril, os bancos projetavam inadimplência em 4,8% em 2015.

Dólar e PIB. Os bancos reduziram a projeção para a taxa de câmbio esperada para o final de 2014 e de 2015. A previsão dos economistas consultados em abril apontava câmbio em R$ 2,44 no final deste ano, projeção revisada para R$ 2,39 na leitura de junho. Para 2015, a projeção anterior era de R$ 2,49 e passou para R$ 2,45 na pesquisa divulgada ontem.

O levantamento também mostrou que, na média, a projeção para o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no final deste ano recuou de 1,8% na leitura de abril para 1,4% no levantamento de junho. Já para 2015, a expectativa recuou de 2,2% na pesquisa anterior para 1,7%.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) ouviu 28 economistas de bancos entre os dias 6 e 10 de junho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.