Bancos prorrogam prazo para adesão de acionista do ABN

O consórcio de bancos liderado pelo Royal Bank of Scotland (RBS) decidiu estender o prazo de sua oferta pelo ABN Amro Holding, que expirou na sexta-feira passada. Agora, os acionistas do banco holandês que ainda não se manifestaram têm até 31 de outubro para decidir se vendem seus papéis ou não.O consórcio, integrado pelo espanhol Santander e o belgo-holandês Fortis, declarou hoje que sua proposta é incondicional, mantendo os termos originais, de 70,2 bilhões de euros (US$ 100 bilhões). Na segunda-feira, o grupo revelou que já possuía aceitação de 86% das ações do ABN, virtualmente saindo-se vitorioso na disputa com o banco britânico Barclays. No Brasil, o ABN Amro é dono do banco Real, que deve passar então ao controle do Santander.O rival Barclays admitiu a derrota na sexta-feira passada, antes mesmo do encerramento do prazo para aceitação da proposta do RBS, após ter recebido o apoio de menos de 1% do total de ações com direito a voto do ABN em sua oferta - estimada em US$ 85 bilhões. O lance do trio, de 38,03 euros por ação, era 13% superior ao do rival.Agora, o consórcio tem dois meses para detalhar seu plano de transição, o que deve ser submetido à aprovação do banco central holandês. O porta-voz do ABN, Neil Moorhouse, declarou que a instituição foi informada da decisão do consórcio, mas não quis comentar o assunto. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.