Divulgação
Divulgação

Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Bancos públicos e privados negociam empréstimo bilionário para distribuidoras de energia

Valores negociados variam de R$ 15 bilhões e R$ 17 bilhões; condições do financiamento ainda estão em negociação

Anne Warth, O Estado de S.Paulo

09 de abril de 2020 | 20h50

BRASÍLIA - A reedição do empréstimo bilionário para distribuidoras de energia deverá contar, mais uma vez, com a participação de um pool de bancos públicos e privados. Segundo apurou o Estadão/Broadcast, participam das negociações Citibank, Bradesco, Itaú, Santander, Credit Suisse, Banco do Brasil, Caixa e BNDES. Os valores negociados variam de R$ 15 bilhões e R$ 17 bilhões.

As condições do financiamento ainda estão em negociação. Em princípio, o prazo será de 54 meses, com juros de CDI mais 3% a 4% ao ano. Com a crise da pandemia do novo coronavírus, a curva de juros de longo prazo aumentou. 

O dinheiro deverá ser liberado em uma parcela, com desembolso programado para maio. A exemplo da operação anterior, a garantia serão as tarifas pagas pelos consumidores de energia. Também haverá um prazo de carência, ainda indefinido.

Em 2014 e 2015, os empréstimos foram liberados em três parcelas que somaram R$21,2 bilhões. Foram três tranches, com taxa média de CDI mais 2,7% ao ano. O pagamento se encerrou no ano passado e custou, ao todo, R$ 37 bilhões. O impacto nas contas de luz foi de um aumento de 6% por cinco anos.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.