Paulo Vitor/Estadão
Paulo Vitor/Estadão

Bancos públicos e privados também perdem grau de investimento pela S&P

Após rebaixar o rating soberano do Brasil e de empresas de energia e de infraestrutura, agência de classificação de risco cortou as notas de BB, BNDES, Caixa, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander

O Estado de S. Paulo

10 Setembro 2015 | 19h33

SÃO PAULO - A Standard & Poor's (S&P) anunciou o rebaixamento dos ratings de crédito em escala global de 13 bancos brasileiros e os ratings em escala nacional de 20 instituições financeiras do País. A medida se segue ao rebaixamento dos ratings de crédito soberano do Brasil em moeda estrangeira de BBB- para BB+ e em moeda local de BBB+ para BBB-, anunciada nesta quarta-feira. Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander Brasil perderam o grau de investimento.

"Além disso, revisamos nossa perspectiva em escala global de companhias de serviços financeiros e em escala nacional de seis companhias de estável para negativa. Também mantivemos a perspectiva negativa de 11 entidades na escala global e as de 16 em escala nacional. Também colocamos os ratings de duas entidades em observação para possível rebaixamento e mantivemos duas em observação 'em desenvolvimento'", diz a nota da S&P.

Mais cedo, a S&P rebaixou o rating da Petrobrás em dois níveis, o que também a classifica como grau especulativo. A agência também rebaixou as notas de várias empresas do setor de energia, como a Eletrobrás e subsidiárias, e de infraestrutura.

Retirar o grau de investimento significa que a agência não considera determinada empresa - ou País - uma boa pagadora de seus débitos. Sem a classificação, o acesso a novos financiamentos fica mais difícil e a empresa pode ter de pagar juros maiores que conseguia até então. (Com informações da Dow Jones)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.