Bancos reabrem amanhã na maior parte do País

Os bancos reabrem normalmente amanhã na maior parte do País, depois de seis dias de greve dos bancários, que foi encerrada ontem à noite, com a aprovação do reajuste salarial de 6% proposto pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). A paralisação prossegue em Brasília, no Maranhão e Piauí. No Rio de Janeiro, os bancários do setor privado voltam ao trabalho, mas os funcionários da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil continuam em greve. Em Florianópolis, os bancários do Banco do Estado de Santa Catarina (Besc) também continuam parados. Em Mato Grosso do Sul, a assembléia para avaliar a proposta dos bancos acontece somente amanhã. Também continuam em greve nacional os funcionários do Banco Central (BC). A paralisação já dura 23 dias - a maior da história do BC -, mas a Fenaban diz que o movimento paredista não afeta o sistema de pagamentos para transferência de dinheiro e a distribuição de cédulas na rede bancária e caixas eletrônicos. "Se houver algum problema, podemos recorrer ao Banco do Brasil, que tem atuado de forma bastante eficiente nessa área", afirma Magnus Apostólico, superintendente de Relações do Trabalho da Fenaban.Nos estados onde a proposta patronal foi rejeitada, os bancários deverão realizar amanhã novas assembléias. "A decisão das assembléias é soberana, mas a tendência é de que os trabalhadores sigam o resultado do resto do País e terminem a greve", diz Vagner Freitas, presidente da Confederação Nacional dos Bancários (CNB).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.