Bancos reduzem taxas de juros após decisão do Copom

Vários grandes bancos anunciaram reduções de suas taxas de juros cobradas nos empréstimos a pessoas físicas e jurídicas, logo após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central cortar a taxa Selic (juro básico da economia) em um ponto porcentual, para 9,25% ao ano.

AE, Agencia Estado

10 de junho de 2009 | 20h42

O Bradesco anunciou redução das taxas de várias modalidades. Para os clientes pessoa física do Bradesco, a taxa mínima do cheque especial caiu de 4,66% ao mês para 4,58% ao mês, e a máxima de 8,36% ao mês para 8,28% ao mês. No crédito pessoal, a taxa mínima caiu de 3,19% ao mês para 3,11% ao mês, e a máxima de 5,76% ao mês para 5,68% ao mês. No CDC bens, a taxa mínima caiu de 2,88% ao mês para 2,80% ao mês, e a máxima de 4,15% ao mês para 4,07% ao mês.

No CDC veículos, a taxa máxima do Bradesco caiu de 2,58% ao mês para 2,50% ao mês - o Bradesco opera com taxa a partir de 1,20% ao mês, com financiamento em até 80 meses. Na modalidade Leasing Veículos a taxa mínima foi reduzida de 1,69% ao mês para 1,61% ao mês, e a máxima de 2,64% ao mês para 2,56% ao mês, operando, também, com prazos de até 80 meses.

Para empresas, a taxa mínima da conta garantida caiu de 1,97% ao mês para 1,89% ao mês, e a máxima de 6,88% ao mês para 6,80% ao mês. Na linha de capital de giro, a taxa mínima foi reduzida de 1,90% ao mês para 1,82% ao mês, e a máxima de 4,94% ao mês para 4,86% ao mês. Os juros da linha de antecipação de recebíveis de duplicatas, cheques e cartão de crédito foram reduzidos de 2,29% ao mês para 2,21% ao mês na mínima, e de 4,39% ao mês para 4,31% ao mês na máxima. O banco informou que o novo patamar de juros passa a vigorar a partir de sexta-feira (dia 12) em toda a rede de agências.

BB

O Banco do Brasil anunciou a redução de suas taxas de juros para linhas de crédito destinadas a pessoas físicas. A partir de segunda-feira (dia 15), o financiamento de materiais de construção terá juros no intervalo de 1,66% a 2,85% mensais. A taxa anterior ia de 1,69% a 2,89% mensais.

No cheque especial, a taxa máxima cai para 7,69% ao mês e a mínima para 1,25% ao mês. No cartão de crédito, a taxa máxima recua de 12,64% para 12,56% mensais e a mínima sai de 3,63% para 2,99%. No crédito consignado, o BB passa a oferecer taxas a partir de 1,59% ao mês para servidores públicos federais, a partir de 1º de julho.

Itaú Unibanco

O Itaú Unibanco informou que irá reduzir pela quarta vez nos ano as taxas máximas de contratação do crediário e cheque especial, tanto para pessoa física quanto jurídica. A redução será de 0,08 ponto porcentual sobre as taxas máximas mensais praticadas no Itaú Unibanco, o que corresponde, mais uma vez, ao repasse integral do corte na Selic, que é anual. Os novos valores têm validade a partir da próxima quarta-feira, 17 de junho.

Santander

O Banco Santander informou que reduziu as taxas de juros de algumas modalidades de seus serviços. "Em linha com a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), que reduziu a taxa Selic em 1 ponto porcentual, o Grupo Santander Brasil, que reúne os Bancos Santander e Real, reduzirá as taxas de juros para pessoas físicas nas modalidades de empréstimos e de cartão de crédito", diz a nota.

A taxa de cheque especial, reduzida em 0,08 ponto, baixará de 9,50% para 9,42% ao mês. A taxa máxima de crédito pessoal será reduzida de 6,15% para 6,00% ao mês. A taxa mínima de crédito consignado passará para 0,90% nos contratos até seis meses. No caso do cartão de crédito internacional a taxa do parcelamento da fatura baixará de 7,99% para 6,99%.

Em maio, o Grupo Santander Brasil voltou a oferecer crédito consignado com o prazo máximo de 72 meses e anunciou a extensão do prazo de financiamento de veículos zero quilômetro também para até 72 meses, por meio da Aymoré Financiamentos. No caso de empréstimos imobiliários o prazo máximo de financiamento chega a 30 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
jurosbancosCopom

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.