Bancos: tarifas tem diferença de 1.000%

As tarifas bancárias de alguns serviços podem apresentar diferença superior a 1.000% entre uma instituição e outra, segundo pesquisa da Fundação Procon-SP realizada entre os dias 3 e 6 de julho, junto a 14 bancos da capital paulista. A menor taxa para o cheque avulso foi de R$ 0,30, cobrada pelo Banco Itaú, ao passo que a tarifa mais elevada foi de R$ 3,50, do Banespa, uma diferença de 1.066,67%.Em valores absolutos, a maior desproporção, de R$ 45,50, foi a da renovação anual de cadastro de conta especial, cujas tarifas variaram de R$ 9,00 no Banco do Brasil a R$ 54,40 no Banco Real, uma diferença de 504,4%. Segundo o Procon, a Caixa Econômica Federal (CEF) e o Banco Itaú isentaram seus clientes da cobrança.Também significativa é a diferença de tarifas cobradas para a manutenção anual do cartão magnético. O Banespa apresentou a maior tarifa, de R$ 48, para este serviço, enquanto o Bandeirantes mostrou a menor taxa, de R$ 6,59, que significa variação de 628,4% entre um banco e outro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.