Bancos vão estudar como melhorar qualidade de recibos

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) irá discutir com seus associados o que será feito para atender à exigência do governo paulista sobre a melhora na qualidade do papel dos comprovantes de pagamento emitidos por caixas eletrônicos. "É uma discussão que vamos ter com os bancos somente agora", afirmou o diretor de Tecnologia e Automação Bancária, Gustavo Roxo.

ANA PAULA RIBEIRO, Agencia Estado

04 de junho de 2009 | 15h48

A exigência consta da lei estadual nº 13.551, sancionada no dia 2 de junho pelo governador José Serra. Ela determina que os bancos no Estado de São Paulo alterem a qualidade do papel em até 180 dias. O objetivo é que esses recibos possam ser guardados pelos clientes e, quando preciso, usados como comprovantes de pagamento. Roxo lembrou que algumas instituições já fornecem recomendações sobre como guardar adequadamente os recibos emitidos por caixas eletrônicos e, dessa forma, garantir a durabilidade desses documentos.

Para o diretor da Febraban, a lei poderá causar "dor de cabeça" caso seja necessário trocar dispositivos das máquinas de autoatendimento. "Temos mais de 170 mil caixas. Se tivermos que trocar a impressora dessas máquinas, teremos ''dor de cabeça''", disse. O número de caixas eletrônicos refere-se ao instalado em todo País, 170.245 unidades. A Febraban não tem o número dos equipamentos instalados apenas no Estado de São Paulo e também não fez uma estimativa de custo para se adequar à nova legislação.

Tudo o que sabemos sobre:
bancoscaixa eletrônicorecibos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.