-15%

E-Investidor: como a queda do PIB afeta o mercado financeiro

Banda larga tem aumento de 45,9% no País

Os serviços de telefonia celular de terceira geração (3G) incentivaram o crescimento da banda larga brasileira. No ano passado, o número de acessos de internet rápida aumentou 45,9%, chegando a 11,817 milhões. As conexões móveis ficaram com 16,8% do total. No fim de 2007, eram apenas 7,4%. "Muita gente usa o acesso móvel no desktop (computador de mesa), porque onde mora não existe outra opção de tecnologia", disse Mauro Peres, diretor-geral da consultoria IDC Brasil, responsável pelo estudo.Feito sob encomenda para a Cisco, fabricante de equipamentos de comunicação, o estudo apontou que existiam 5,16 conexões de banda larga por 100 habitantes, comparados a 4,6 no primeiro semestre de 2008. O número está abaixo do de países como Chile (8,5), Argentina (7,8) e Uruguai (5,2). "Ainda existe um grande espaço para avançar", disse Rodrigo Abreu, presidente da Cisco do Brasil.O avanço da internet rápida apresentou uma desaceleração no quarto trimestre de 2008, como reflexo da queda nas vendas de computadores. "Em janeiro e fevereiro, o mercado já deu sinais de melhora, incentivado por promoções mais agressivas por parte das operadoras", apontou Peres. O número de acessos móveis inclui somente modems para navegar nos computadores, sem levar em conta os celulares inteligentes.Para este ano, a previsão é de que o mercado cresça entre 20% e 30%, afetado principalmente por uma queda prevista de cerca de 20% na venda de computadores. Segundo Peres, a chegada da banda larga móvel em cidades onde não existe outra opção tecnológica deve ser um fator de crescimento. Segundo um outro estudo, divulgado pela E-Bit, o faturamento do comércio eletrônico brasileiro aumentou 30% em 2008, chegando a R$ 8,2 bilhões. Para este ano, a expectativa de crescimento está entre 20% e 25%, fazendo com que a receita do varejo virtual ultrapasse pela primeira vez os R$ 10 bilhões. Mais de 13 milhões de brasileiros já compraram pela internet. A pesquisa mostrou que 73% dos consumidores online estão preocupados com a situação econômica. Mesmo assim, 48% deles compraram pela internet no último Natal o equivalente ou mais do que em 2007.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.