Tiago Queiroz / Estadão
Tiago Queiroz / Estadão

Conta de luz deve seguir sem cobrança extra até o fim de abril, projeta Aneel

Para o período seco, com início em maio, o diretor da agência, Romeu Rufino, evitou fazer previsões sobre a bandeira a ser aplicada nas faturas de energia

Victor Aguiar, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2017 | 13h32

O diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, afirmou nesta sexta-feira, 3, que, ao menos até o final de abril, a bandeira tarifária deve seguir verde, ou seja, sem cobrança extra.

"Para março e até o final do período úmido, não vislumbro um cenário que possa acionar a bandeira amarela", disse o executivo, durante conversa com jornalistas após participação em evento promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (Amcham), em São Paulo.

Quanto ao período seco, que se inicia em maio, Rufino não quis fazer previsões. "Depende de como fecharmos o período úmido. Não dá pra saber", disse.

Rufino informou que o órgão está prestes a definir o adicional para cada bandeira tarifária em 2017 e o nível de acionamento de cada bandeira. "Estamos concluindo as análises para 2017, não deve ter muita mudança no conceito e nível de patamares e no adicional de cada modalidade", disse o diretor. "Mas certamente teremos algum aprimoramento". 

O executivo, no entanto, não passou cronogramas nem sinalizou eventuais patamares.

Falando sobre os desafios do segmento de distribuição de energia no Brasil, o diretor-geral da Aneel destacou que o setor convive com problemas ligados à gestão do fluxo de caixa, uma vez que as companhias estão sujeitas a oscilações nos custos da energia e outros encargos. "O desafio é resgatar a preocupação da distribuidora, que é prestar serviços pertinentes à atividade fio."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.