Banespa: acionistas querem suspender recompra

A Associação dos Acionistas Minoritários do Banespa pretende suspender o leilão de recompra das ações pelo Banco Santander. O advogado Bension Coslousky, vice-presidente da associação, afirmou ter mobilizado os acionistas minoritários para entrar com uma ação demonstrando que o edital do leilão tem informações dúbias e fere o Código Civil.Coslousky apresentou o pedido da ação civil pública na última quinta-feira à Procuradoria-Geral de Justiça. Entre os argumentos apontados pelo advogado, está a diferença de tratamento entre quem aceitou a proposta do Santander e quem não a aceitou. "Para vender, o procedimento é simples - basta procurar uma agência -, mas, para recusar, o acionista precisa recorrer à corretora munido de xerox de identidade com firma reconhecida".Vale lembrar que o edital foi aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Por conta disso, especialistas do mercado financeiro são unânimes ao recomendar aos investidores minoritários que considerem a oferta de recompra de ações do Banespa. Para o analista da Corretora Sudameris, José Francisco Cataldo, é interessante aceitar a proposta, pois o prêmio oferecido é bom. O analista da Corretora Socopa Daniel Doll Lemos tem a mesma opinião.Ao contrário de Coslousky, o presidente da Associação Nacional dos Investidores do Mercado de Capitais (Animec), Waldir Corrêa, não vê problemas com o edital, porque se trata de uma oferta de adesão voluntária, proposta que ele considera interessante para o investidor. Mas prefere deixar a decisão para cada minoritário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.