Banespa: funcionário terá vantagem com ações

Os funcionários do Banespa que optarem por adquirir as ações do banco na oferta de privatização vão ter vantagem. De acordo com o Banco Central, que definiu as normas da venda do banco, os empregados têm direito a um desconto de 50% sobre o preço mínimo fixado pelo governo para cada lote. Cada funcionário pode comprar um lote mínimo composto de 3.348 ações ordinárias (ON, com direito a voto), pelo preço de R$ 261,25, e o máximo de dez lotes, com 33.480 ações, por R$ 2.612,50, desde que faça a reserva até 1º de dezembro.O funcionário não poderá vender os papéis nos primeiros seis meses. Depois deste período, mas antes de um ano, o novo controlador terá a obrigação de fazer uma oferta de recompra dos papéis pelo preço mínimo fixado para o leilão. Com isso, o empregado terá um ganho de 100% sobre o valor pago, mais correção pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI). O funcionário só poderá vender as ações no mercado depois de um ano.O ganho poderá ser maior na venda ao controlador. Pela oferta do governo, o funcionário pagará R$ 78,03 pelo lote de mil ações (a conta foi feita de forma proporcional, porque o lote oferecido ao empregado é de 3.348 ações). Na sexta-feira, o mesmo lote de mil da ação ON custava R$ 60,00. Essas ações poderão ser revendidas ao controlador por R$ 156,06 o lote de mil, mais a variação do IGP-DI. Assim, no mercado à vista, para que a operação apresentasse o mesmo resultado, os papéis teriam de subir 160,10% mais o IGP-DI.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.