Banespa: manter ações pode ser arriscado

Quem ficar com as ações do Banespa terá de arcar com os riscos da reestruturação que está sendo feita pelo Santander, que já resultou em expressivos ajustes contábeis, de R$ 2,648 bilhões. O analista Antonio Klapka, do ABN Amro, disse que é muito difícil prever quanto tempo demorará até que o Banespa tenha desempenho igual ao de outros bancos privados brasileiros do setor bancário.Para o analista Mário Palhares, da BES Securities, o ajuste esperado pelo mercado nas contas do Banespa já foi feito. Ele não descarta, no entanto, a possibilidade de novas modificações serem efetuadas durante o processo de reestruturação. Para Antonio Klapka, não é interessante ficar com as ações pensando nos dividendos, porque é difícil prever quanto e quando haverá distribuição de lucros aos acionistas.Alguns analistas lembram ainda que não está definida a fórmula que será utilizada pelo Santander para capitalizar o benefício fiscal do ágio contábil registrado na aquisição do banco. A legislação permite que o valor pago como ágio seja descontado dos resultados, a fim de reduzir o lucro e, portanto, o Imposto de Renda a pagar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.