Banespa: minoritários vão à justiça

O advogado Bension Coslovsky, vice-presidente da Associação dos Minoritários do Banespa, entrou hoje na Procuradoria Geral de Justiça do Estado de São Paulo com representação civil contra os atuais dirigentes do Banco do Estado de São Paulo, Banco Santander Brasil, Banco USB Warburg e Banco Santander Central Hispano com base na Lei 7.913, de 7 de dezembro de 1989. A lei dispõe sobre a ação civil pública de responsabilidade por danos causados aos investidores no mercado de valores mobiliários. O advogado entende que haverá prejuízo para os investidores minoritários, que se recusarem a vender seus papéis do Banespa. O acionista controlador Santander está recomprando todas as ações no mercado. Coslovsky afirma que os minoritários que não aceitarem vender ficarão sem liquidez para seus papéis. Ele pede que o procurador José Geraldo Filomeno Brito acolha a representação, promovendo a suspensão do leilão de compra de ações em mãos de acionistas minoritários, previsto para o dia 6 de abril, às 13 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.