Bank of America acerta compra da Countrywide por US$4 bi

Countrywide foi duramente atingida pela crise do setor imobiliário e vem apresentando grandes perdas

Reuters,

11 de janeiro de 2008 | 12h22

O Bank of America afirmou nesta sexta-feira que acertou a compra da financiadora de hipotecas Countrywide Financial por cerca de US$ 4 bilhões em ações, uma medida que pode ajudar a evitar um dos maiores colapsos no mercado imobiliário norte-americano. A compra se constitui numa outra grande e arriscada aquisição do presidente-executivo do banco, Kenneth Lewis, que gastou mais de US$ 100 bilhões em fusões para criar o segundo maior banco dos Estados Unidos. A aquisição também pode dar uma sobrevida à Countrywide, que foi duramente atingida pela crise do setor imobiliário e vem apresentando grandes perdas. "Estou respirando aliviada", afirmou Nancy Bush, da área de gerenciamento no NAB Research LLC, em South Carolina. "A notícia retira boa parte das incertezas da indústria." TransaçãoOs acionistas da Countrywide receberão 0,1822 de uma ação do Bank of America em troca de cada uma de suas ações. A transação estima o valor da Countrywide em US$ 7,16 por ação, um desconto de 7,6 por cento em relação ao preço do fechamento do papel na quinta-feira. As ações da Countrywide perdiam US$ 1,05, ou 13,5%, para US$ 6,70, nos negócios anteriores à abertura do pregão, depois de subir 51,4% na quinta-feira repercutindo os rumores da aquisição. Os papéis do Bank of America caíam US$ 0,29, para US$ 39,01. Se a operação avançar, o banco poderá resgatar US$ 2 bilhões em um investimento em ações preferenciais que fez na Countrywide em agosto. Essa transação perdeu mais da metade de seu valor no papel. Em comunicado, Lewis, 61, afirmou: "Estamos cientes das questões na indústria imobiliária e de hipotecas. A transação reflete esses desafios". O Bank of America espera economizar US$ 670 milhões em custos, depois de impostos, ou 11% dos gastos com hipotecas das duas empresas, até 2011. A Countrywide perdeu US$ 1,2 bilhão no terceiro trimestre. O Bank of America espera concluir a transação no terceiro trimestre e que ela impacte positivamente no lucro por ação em 2009.

Mais conteúdo sobre:
BANCOSBANKOFAMERICACOUNTRYWIDE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.