Bank of America faz proposta a clientes

Investidores que tinham recursos aplicados em fundos de derivativos do Bank of America - Bank of America High Yield FIF, Bank of America Dinâmico FIF e Bank of America Moderado FIF - vêm sendo procurados por representantes da instituição. Eles oferecem uma proposta para ressarcimento de parte das perdas apuradas nessas carteiras em junho desse ano. A informação foi dada pelo advogado Francisco Costa e Silva, sócio do escritório Bocater, Camargo, Costa e Silva e Associados, no Rio de Janeiro, que representa 115 cotistas desses fundos. Procurado pela reportagem da Agência Estado, o Bank of America, por meio de sua Assessoria de Imprensa, informou que não se pronunciará oficialmente sobre a questão nesse momento.Reação dos clientesCosta e Silva afirma que ontem, durante todo o dia, recebeu ligações telefônicas de seus clientes. Segundo ele, os investidores estão indignados e inseguros em relação à proposta. "Eles ainda não decidiram se aceitarão o ressarcimento de parte das perdas proposto pelo banco ou se vão aguardar a conclusão do processo administrativo", afirma o advogado.Na próxima segunda-feira, o advogado pretende reunir seus clientes em um hotel no Rio de Janeiro, a fim de apresentar todas as conclusões jurídicas a respeito da proposta feita pelo Bank of America. Até lá, Costa e Silva afirma que intensificará as conversações junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) também com o objetivo de conseguir mais informações sobre o caso. "Com base nessa orientação, os investidores decidirão se aceitam ou não a proposta do banco", afirma. Perdas e falta de informaçãoAs perdas desses fundos foram registradas em junho. Para se ter uma idéia, o Bank of America High Yield FIF apresentou um desempenho negativo em torno de 20% e a proposta do banco para os cotistas dessa carteira era de um ressarcimento de 40% dessa perda. Já o Bank of America Dinâmico FIF apresentou registrou uma baixa de 7% e a proposta de ressarcimento é de 30% do valor. O advogado destaca que, além da contestação sobre as perdas nos fundos, o grupo de cotistas representado pelo seu escritório de advocacia reclama da falta de esclarecimentos do banco em relação ao assunto. "No processo administrativo instaurado junto à CVM contra o Bank of America, os clientes reclamam que até hoje ainda não sabem como foi feita a gestão dessas carteiras, já que as perdas ultrapassaram os limites máximos estabelecidos nos prospectos dos fundos", informa Costa e Silva. Veja mais informações sobre o caso no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.